Quinta, 20 de Janeiro de 2022 15:19
000000
Cultura Vquejada

Vaquejada no Parque Diolândia supera expectativa de público

Essa foi a XVIII realizada pelo Diolindo para manter viva a cultura.

10/01/2022 08h32 Atualizada há 1 semana
Por: Redacao Fonte: Edinardo Pinto
Diolindo - Promotor do evento
Diolindo - Promotor do evento

O Parque de Vaquejada Diolândia, localizado na comunidade Enjeitado deu início a sua XVIII Vaquejada, na tarde desse sábado (08), com a participação da primeira competição do boi na fita, com premiação de R$ 1.000,00. 

No início da noite, teve a participação das atrações. O primeiro a se apresentar foi Fernandim + nós, depois foi Naldo Tigrão, que sacudiu a galera e o Joilson Costa, que encerrou a noite.

O povo que gosta dessa cultura, esteve presente também no domingo (09), com o tempo colaborando e aos poucos a casa foi ficando pequena para tanta gente que se misturou com os vaqueiros no decorrer da tarde e noite. 

Às 16h a primeira atração a entrar no palco foi o Cristóvão Vaqueiro, com suas vaquejadas, vanerões e o ritmo do momento o pizeiro. Depois a Sereia Bronzeada, deu continuidade ao clima de muita animação, onde a pista de dança começou a se tornar pequena para os casais se divertirem, no ritmo do pizeiro e de outras modalidades musicais a pedido do povo. A última atração foi os Primos do Pizeiro, que também levou a galera a madrugar por conta do seu repertório bem atualizado.  

A pega de boi na facha, teve início às 16h, com a participação de muitos vaqueiros da região e de outros municípios, com a premiação de R$ 1.500,00. 

O tempo colaborou e o povo compareceu para prestigiar. Além dos amantes da cultura da vaqueirama, que envolve a cavalgada, pega de boi e a vaquejada, os vaqueiros da região também se fizeram presentes a contemplar a sua cultura, alguns deles já com a idade avançada, aproveitou para rever os amigos e matar a saudade dos velhos tempos de campos. 

Diolindo, um dos organizadores da cavalgada, disse que “é uma cultura muito bonita, mas que não tem incentivo por parte das instituições, que apenas tem o objetivo de defender e incentivar a cultura, mas que na prática nada disso acontece, apoio, patrocino, nada disso esses eventos têm recebido. Para não deixar um movimento cultural desse que é a vaquejada, somos obrigados a tirar o dinheiro do próprio bolso e de alguns amigos que vendo o nosso esforço ajudam como podem”. Disse, Diolindo.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.