Banner super
Economia

Chegou a hora de unir todos para o enfrentamento das dificuldades

Em tempos de crise, fomentam novas ideias e parcerias entre os pequenos e micro-empreendedores

14/04/2020 07h52Atualizado há 5 meses
Por: Redacao
Fonte: OPALANEWS
207

O momento impõe à sociedade mundial (re) discutir meios de sobrevivência baseados na igualdade na relação, seja na produção, consumo ou comercialização dos produtos, envolvendo toda comunidade.

As expectativas no campo econômico são ruins, o desemprego (que já atingia índices altíssimos), agora praticamente ficou fora de controle, com indústrias e comércios fechando suas portas.

Diante das alternativas para vencer a crise, falando do aspecto da economia, vê-se uma campo fértil para o desenvolvimento da chamada ECONOMIA SOLIDÁRIA - "conjunto de atividades econômicas, seja de produção, distribuição, consumo, poupança e crédito organizadas sob a forma de autogestão (forma de organização onde a administração da empresa é feita pelos seus participantes, com democracia direta, sem a figura do “patrão” e com igualdade entre seus membros." (aventura de construir)

Quando surgiu o primeiro movimento indicando à prática da Economia Solidária no mundo

"Os historiadores e estudiosos dizem que o termo surge na Grã-Bretanha, durante a Primeira Revolução Industrial. Foi uma reação dos artesãos que perderam seus empregos para as máquinas à vapor e na passagem do século XVIII para o século XIX surgiram os primeiros sindicatos e as primeiras cooperativas (símbolo da economia solidária)."

"A Economia Solidária, por definição, tem a pretensão de diminuir a desigualdade na sociedade, logo, é uma forma de economia colaborativa ao invés de competitiva. Só pode ser concretizada se houver plena igualdade entre todos que se unem para produzir, consumir, comerciar ou trocar, pensando nisso, a Economia Solidária visa a união entre iguais em vez do contrato entre os desiguais."

O Opalanews vê a necessidade de estarmos trazendo mais informações deste segmento, principalmente por Pedro II já dispor de várias associações e cooperativas de produtores e criadores que desenvolvem o modelo previsto de ECONOMIA SOLIDÁRIA, e que, neste momento, podem ajudar na sustentabilidade dos pequenos e fazer com que a produção, principalmente de gêneros alimentícios, possa chegar nas mesas dos mais pobres, sem falar na questão de combater o abuso nos preços que estão sendo praticados por alguns comerciantes.

Precisamos de união e responsabilidade nas ações, o futuro de nosso povo depende de como nos conduzimos neste momento.